Vitórias

Padrão

 

Jean-Pierre Jeunet comemorou a indicação de seu “Fabuloso destino de Amélie Poulain” para abrir o Festival de Cannes. O mais importante festival de cinema do mundo e, voilà, Amélia daria as boas-vindas! Um fracasso, aprendeu que filme francês deve fugir dessa honra.

 

A raposa viu o cacho de uvas pendurado sobre a estrada e esticou-se para pegá-lo. Não conseguindo, resolveu pular. Percebendo que não alcançaria, decidiu que as uvas estavam estragadas.

 

O sapo soube que ia ter festa no céu e disse Obaaaaa! Soube que teria muita comida e disse Obaaaaa! Soube que só entraria quem tem boca pequena e disse Coitadinho do jacaré…

 

Em 2007, a experiência de Alonso conquistou inimizades, entre elas a do pupilo Lewis Hamilton que, com o título na mão, levou para casa um ano de experiência na Fórmula 1, mesmo contando com todo o apoio do grande chefe da equipe. Quantas surpresas! O azarão foi quem levou, fazendo tudo certinho na última corrida e contando com os companheiros. A onda vermelha da Ferrari, premiada pelo chefe da categoria.

 

A tartaruga veio aos poucos, pé ante pé, caminhando pelo percurso. A lebre caçoava. A tartaruga continuou, pé ante pé, percorrendo o trajeto. A lebre esnobou tanto que dormiu. A tartaruga manteve-se, pé ante pé, preocupada com a missão a cumprir. A lebre, quando acordou, já estava perigando nem chegar ao segundo turno e saiu xingando mais que correndo.

 

 

Gustavo Burla

 

 

Publicado originalmente em http://hipocondria.blog.terra.com.br, 6 de outubro de 2008.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s