Congênito

Padrão

 

Como você evita que a exterioridade lhe afete?

Mais velho, era admirado. Por ser primogênito, recebeu toda a carga de responsabilidades e expectativas. Um bebê, então, pesado tornou-se. Tinha um semblante sério, não sorria.

Quando criança era paparicado. Por ser estudioso, deixavam-lhe sozinho, na redoma do imaginário que ganhava vida internamente. Uma criança deslocada e considerada esnobe foi a imagem implantada ao seu redor.

Tempos difíceis, na adolescência, fizeram-no ser adulto mais rápido. Perdeu os primeiros amores, o primeiro porre, as irresponsabilidades e a rebeldia. Um jovem sério e maduro com cara de velho aparecia nos documentos oficiais.

Ao se tornar adulto, doava tempo, dedicação, amor, ações com o objetivo de continuar ligado aos outros. No entanto, não recebia o que queria. Também não pedia. Um homem isolado, distante, esquecido nunca foi percebido realmente pelo potencial. Nem ele se enxergava.

Como você faz a interioridade lhe trazer crédito?

José Eduardo Brum

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s