O conto sem conta

Padrão

Queria contar um conto. Um conto que depois fosse contado e cantado por todos os que, como eu, também quisessem contar. E cantar. Mas é difícil contar um só conto quando se tem que contar contas, juntar pontos, cortar pontas, secar prantos. Impossível cantar um só canto quando se perde as contas, quando não se pode segurar as pontas, quando não se consegue aumentar os pontos. Quando se é incapaz de consolar o pranto ou abafar o medo que aponta. Quando a cabeça anda tonta e as palavras não estão prontas.

Táscia Souza

Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s