Porque o amor dói tanto

Padrão

Há um mito antigo que muitos desconhecem. Assim como o evangelho de Judas e Maria Madalena, essa história grega tem sido mantida em sigilo, desconhecida aos olhos do povo. Trata-se de um ardil de deuses menores, no entanto, nem por isso desmerece seu valor.

Eris, a Discórdia para os romanos, queria destruir os humanos, acabar com os pobres mortais. Antes de atingir sua vitima, tentou aniquilar Demeter para que houvesse escassez de alimentos e Dionisio, já que ele era o deus da ferocidade e da voracidade sexuais. Sem atingir seus objetivos, ela se virou para Eros, ou Cupido na mitologia dos romanos.

Num dia comum, enquanto o deus se divertia jogando suas flechas suculentas e amorosas dentre os mortais, Eris apareceu e disse que tinha acabado de voltar do mundo inferior, terra de Hades, onde havia confirmado que seus poderes oriundos de ódio, raiva e rancor ficavam mais fortes. Durante o teste, ela revelou que os deuses haviam comentado, e rido, que deuses do bem, como Eros, teriam toda a sua divindade anulada no espaço destinado aos mortos.

Caprichoso como ele, Eros rumou para o mundo inferior rápido como um trovão. Nem passou por sua cabeça que era a sua primeira visita àquele lugar. Realmente, Eris tinha razão. Ele ficou chocado com tanta tristeza, amargura e lamentação. Percebeu que seus encantos de amor que faziam brotar juras e momentos de gozo e júbilo muitas vezes se tornavam em pesares e dor.

Eros observou e constatou o quanto ele próprio era inútil aos humanos se no fim os fazia sofrer. Eris assistia a tudo e se regozijava de satisfação. Sem amor, a humanidade estaria perdida em guerras e disputas. Tudo iria acabar.

Tristonho, Eros tinha retornado à terra, se sentindo tão desprezível. Por dias, não lançou sequer uma flecha. Preocupados, os deuses perceberam o rumo da história e resolveram agir. O amor materno incumbiu Afrodite: ela roubou uma das flechas do filho e o atingiu, determinando apenas que Eros deveria ser eternamente apaixonado pelos humanos.

Eros se esqueceu da experiência triste no mundo inferior, mas recobrou a vontade e o vigor. A partir daquele dia, passou a disparar duas flechas em cima de cada humano, para garantir que eles seriam mais apaixonados e buscariam com mais afinco a realização de seus desejos. É por isso que se sofre dobrado de amor.

José Eduardo Brum

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s