Experiência

Padrão

Gostava da solidão. Como contratempo para o curtido mundo agitado e conectado, adorava passar o final de semana sozinho, sentindo os próprios ecos no singelo deserto apartamento. Arrumava, cozinhava, assistia, desligava-se. Computador e celular também mereciam descanso.

Até que um dia, a porta do quarto fechou sozinha e não quis mais abrir. Girava a maçaneta e nada movia. Rezou, tentou truques, esmurrou e forçou. Estava ilhado, sem qualquer forma de comunicação. Não adiantava gritar, os ecos no décimo primeiro andar não iam atingir ninguém. Sentiu ondas de calor, conversou consigo mesmo, chorou.

Depois que foi resgatado, nunca mais ficou um segundo sozinho. Passou a detestar a falta de companhia.

José Eduardo Brum

Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s